As vezes você se faz essa pergunta. Para não ser pego de surpresa, veja o que esperar do lugar para onde você está indo.

Archive for : junho, 2012

Buenos Aires – trocando em moedas

Uma das nossas primeiras preocupações ao ir à Buenos Aires era a moeda. Com o peso desvalorizado, as mercadorias na cidade têm o preço muito menor do que os encontrados aqui no Brasil. Algumas coisas como eletrônicos acabam não compensando muito, mas roupas e bebidas saem muito mais baratas. Além disso, ainda passaríamos pelo Duty Free Shop no aeroporto, que sabemos que para vôos internacionais, também oferece ótimos preços.

Fomos pesquisar nas casas de câmbio como estava a cotação do peso e, para nossa surpresa, não tinha peso em nenhuma! E sem previsão de chegar mais, o que foi justificado pelo aumento das viagens de brasileiros para a Argentina. A alternativa era então levar real mesmo, ou dólar, já que se aceitam as duas moedas por lá.

Na época (agosto/2011), o dólar estava muito barato (cerca de R$1,60), então optamos por levar dólares mesmo, e trocar um pouco por pesos quando chegássemos a Buenos Aires. E foi a melhor solução, pois descobrimos que lá muitas lojas não usam a cotação oficial, e outras ainda oferecem descontos maiores para compras feitas em dólar. Então, com as duas moedas, dava para optar na hora o que valia mais a pena. Por exemplo, o dólar valia oficialmente cerca de 4,10 pesos. Algumas lojas padronizavam o dólar a 4 pesos, e aí não compensava, mas chegamos a achar até 4,30 pesos! Então vale a pena pesquisar, porque na hora do desconto, os argentinos são jogo duro, e não cedem nem um centavinho!!

Ainda falando em dinheiro, em Buenos Aires, uma coisa que existe muito é nota falsa. Então aconselhamos que se faça a troca somente em lugares confiáveis, como no Aeroporto e nos câmbios dos shoppings. A cotação não varia muito, e você não corre o risco de ser pego de surpresa. E ande sempre com notas pequenas, principalmente se for pegar um taxi. Um dos maiores golpes que acontecem na cidade é justamente o taxista trocar sua nota verdadeira por uma falsa que já estava com ele, ou uma de menor valor. Então é bom sempre prestar atenção na hora de pagar, contar as notas em voz alta, e nunca tirar os olhos do motorista. Eles são muito espertos!

 

 

Comendo em Buenos Aires

Um país diferente, outra cultura, outra língua e… outra culinária!

Antes de sair do Brasil, o que sempre ouvíamos por aqui era que a carne na Argentina é a melhor de todas, e que não podíamos deixar de comer o tal do bife de chorizo. Tá, vamos provar!

Na primeira noite em Buenos Aires, como estava muito frio, resolvemos comer perto do hotel mesmo. Encontramos uma churrascaria, e resolvemos entrar.

De inicio, o garçom – muito grosseiro, por sinal – veio a nossa mesa e deixou um cestinho de pães, o que descobrimos ser um costume deles. Mas não pense que é cortesia, no final das contas, você paga por eles.

Como não falamos quase nada de castellano, tivemos um pouco de dificuldade com o cardápio, que tinha muitas palavras desconhecidas. Por fim, com a ajuda do garçom, conseguimos pedir uma carne. Muito ruim, muito gordurosa, ahhhh, detestamos!!! Nesse restaurante não gostamos de nada, nem do arroz, nem do tempero e nem do garçom.

Na hora de ir embora, descobrimos um outro costume deles: você tem que deixar sempre uma gorjeta. Então ande sempre com algumas notas menores de pesos no bolso, para esses momentos. Se você for mal atendido, não vai querer deixar uma nota de 100 pesos na mesa, né?

 

Restaurante Los Remolinos Parrilla

Restaurante: Los Remolinos Parrilla
Endereço: Suipacha, 957, Centro

No dia seguinte, almoçamos no Puerto Madero, em um restaurante que aceitava pagamento em peso, dólar e real. O valor era fechado, cerca de 65 pesos por pessoa, com direito a sobremesa. A comida era melhor, mas ainda bem diferente da nossa. Nesse restaurante pedimos vinho, que vem em garrafinhas individuais, já que lá também é um costume fazer as refeições acompanhadas de vinho. O garçom foi super gentil, e nos auxiliou na escolha do melhor vinho para acompanhar o que á comento. Esse mereceu uma gorjeta melhor.

restaurante: Brazas Argentinas

endereço: Alicia Moreau de Justo, 1108 (Dique 3, perto da Fragata Sarmiento), Puerto Madero

 

A noite, mais uma vez estava muito frio, e resolvemos comer em uma pizzaria próxima ao hotel. O garçom foi o mais simpático da viagem toda, traduzindo as palavras mais difíceis do cardápio. Ele ainda nos apresentou a Fanta Pomelo, uma delícia que só existe por lá. A pizza era muito boa, e essa foi, sem dúvida, a nossa melhor refeição na Argentina nessa viagem!

Restaurante Petit Restaurant Natacha

Restaurante: Petit Restaurant Natacha
endereço: Marcelo T. de Alvear, 901, Centro

Na última noite, resolvemos conhecer o Hard Rock Café Buenos Aires. Lá sempre tem fila de espera para entrar, mas vale a pena, pois não demora muito. Enquanto isso você desce e conhece a loja, que tem várias opções de presentes da marca. Pedimos um sanduíche enorme, que veio acompanhado de alface e tomate, e fritas. Muito gostoso, mas muito grande, foi difícil conseguir comer tudo. Atendimento nota 10, não demora, e os garçons foram super atenciosos. Aprovado!!

restaurante: Hard Rock Café – Buenos Aires

endereço: Av. Pueyrredón y Libertador, 1119, Buenos Aires Design


Agora, tem duas coisas não se pode deixar de fazer quando se fala de Buenos Aires. Primeiro, uma visita ao Freddo para experimentar o tão falado sorvete de Dulce de Leche (doce de leite). E depois, uma passada em alguma loja ou quiosque da Havanna, que tem em quase toda esquina na cidade, para comprar os deliciosos alfajores… Esses estão mais que recomendados!!

endereço de algumas lojas da Freddo

Florida, 628
Avenida Corriente,s 3247
Avenida Callao, 1201
Vicente López, 2008
Avenida Santa Fe, 2906
Avenida Santa Fe, 1600
Avenida del Libertador, 740
Avenida del Libertador, 5200
Shopping Abasto

endereço de algumas lojas da Havanna

Santa Fé, 1819
Santa Fé, 2225
Pueyrredon, 1320
Pueyrredon, 1802
Rodriguez Peña, 1205
Marcelo T. de Alvear, 398
San Martin, 1129
Uruguay, esquina com Viamonte
Florida, esquina Tucuman
Florida, 159
Florida, 948
Corrientes, 902
Corrientes, 1225
Corrientes, 1523
Cordoba, 935
Cordoba, 1699
Cordoba, 2370
Galerías Pacífico
El Caminito

 

 

Conhecendo Buenos Aires em 1 dia

Buenos Aires. Uma bela cidade, destino certo de quem adora viajar. Uma cidade que encanta pela beleza, pelo patriotismo de seu povo, pela elegância do tango, e o sabor dos vinhos…

Ficamos na cidade apenas 2 dias. Pouco tempo para aproveitar tudo, então a solução foi um city tour. O que se revelou uma ótima ideia, já que passamos pelos pontos mais importantes da cidade, e não conseguiríamos fazer isso a pé. A vantagem de um city tour é que se tem um guia, que conta um pouco da história de cada lugar, além de falar em português – já que os hermanos falam muito rápido, e quem não fala castelhano acaba não entendendo tudo – nada.

O city tour durou cerca de 4h. Não para em todos os lugares, mas é possível tirar fotos de dentro do ônibus mesmo, e nos pontos principais tínhamos um tempo, 30 min em média, para descer e fotografar.

Percurso:

Bairro Recoleta

  • A “Floralis Generica”, uma flor feita toda em alumínio
Floralis Genérica

Floralis Genérica

  • Monumento em homenagem à Eva Perón
Monumento à Eva Perón

Monumento à Eva Perón

  • Plaza Intendente Alvear
  • Basílica Nossa Senhora do Pilar
  • Cemitério da Recoleta
  • Embaixada do Brasil
  • Centro Cultural Recoleta

Centro

  • Teatro Colón
  • O Obelisco, situado na Avenida 9 de Julio, uma das principais da cidade
  • Catedral Metropolitana
  • Plaza de Mayo, com o Monumento ao General San Martin
  • Casa do Governo, a famosa Casa Rosada

Bairro San Telmo

Bairro La Boca

  • “La Bombonera” o estádio do Boca Juniors
  • O  Museo da La Pasion Boquense
  • El Caminito

Puerto Madero

Terminamos o city tour no Puerto Madero, um dos lugares que mais queríamos conhecer, e passamos o resto do dia por lá. É um dos pontos mais visitados da cidade, e possui muitas opções de comida, de todos os tipos. O ideal é procurar bem, tem restaurantes que aceitam tanto dólar quanto euro e real, além do peso, e que cobram valores fechados pela comida, o que ajuda a não ter nenhuma surpresa na hora de pedir a conta.

Ainda queríamos fazer compras, então fomos para a estação de metrô – o Subte – mais próxima, que era a Estação Retiro. Íamos para o bairro Abasto, onde ficam as outlets. Muito fácil andar de metrô, principalmente com o mapa que ganhamos no hotel, que indicava todos os trajetos e paradas de cada linha.

Depois das compras, não podíamos deixar de conhecer a tão famosa Calle Florida, a principal rua de comércio para turistas, que, no nosso caso, ficava próxima ao nosso hotel, o Loi Suites Esmeralda. Vimos alguns casais dançando tango, muitos artistas e até um Capitão Jack Sparrow. Vendedores ambulantes expõem seus produtos no chão, no centro da rua.

Também na Florida, esquina com a Córdoba, fica a Galerías Pacifíco, um shopping de 3 andares, que chama atenção por fora e por dentro. Lá encontramos lojas conhecidas, como Sony e Timberland. E o que estávamos procurando, Havanna e Freddo. Últimas compras do dia, alfajor e sorvete de doce de leite.

Foi corrido, mas conseguimos conhecer tudo isso. Agora, se você for com mais tempo, aproveite para jantar no Puerto Madero, tomar um belo vinho e assistir a uma apresentação de tango.